11/07/2008

Tirando o capacete


Tirando o capacete

Você que já ficou preso no vio-lento trânsito da cidade, zapeando impacientemente o rádio do carro onde o assunto principal não é outro se não o próprio trânsito (com direito a ruidos de helicópteros de fundo e tudo), certamente já deve ter se perguntado:
Quem será esse desgraçado que passa por mim como um louco por entre os estreitos corredores - se não poloneses, pelo menos paulistanos - arranhando quase sempre o meu reluzente retrovisor como se quisesse desafiar as leis da física, tentando encurtar o espaço entre o tempo e a distância?
Quem será ainda esse marginal das marginais que sempre acha uma "brecha" de escape por entre a trama de luxuosos e imponentes símbolos de status - aquele alí tem airbag até no teto (vai que cai um avião...)?

Quem será esse "cavaleiro negro" que montado em seu cavalo de duas rodas trava uma verdadeira batalha diária contra enormes dragões cuspidores de fumaça?

É... mas hoje eu vou lhe contar, ou melhor, vou tirar o capacete:

Eu sou aquele que acorda cedinho pra levar a informação fresquinha à sua porta enquanto a maioria ainda descansa sonhando com boas notícias (não me culpe se só te levei más)!
Eu sou aquele que leva o que você vendeu para aquele que vai receber o que acha que comprou (...na foto parecia ser maior)!

Eu sou aquele que morre todos os dias em nome dos seus papéis e embrulhos (que você julga tão importantes) presos às minhas costas, como um fiel mensageiro medieval que agoniza no chão enquanto agarra com a própria vida a carta do rei! Confesso que às vezes levo sorte e apenas dou trabalho ao ortopedista e meu colega é quem morre no meu lugar.

Também sou aquele que numa chuvosa, fria e violenta noite de sábado te levou pizza, refrigerante barato e até cigarros que você - covarde e preguiçosamente - pediu usando apenas um "esfregar" de mãos na lâmpada mágica da tecnologia enquanto me aguardava na sua segura e confortável fortaleza.

Eu ainda sou aquele que leva suas idéias de um canto pro outro para que você tenha mais tempo de ter novas idéias!

Muito prazer! Sou o "motoboy" e estou presente neste texto escrito apressadamente (ainda tenho mais duas entregas) e que você por não ter nada melhor a fazer ou apenas pra passar o tempo, no seu computador portátil começou a ler.

Assim que você conseguir se livrar do trânsito e chegar com segurança em casa, pense nisso!Mas não precisa ter pressa, pense com calma!Afinal de contas, o apressadinho aqui sou eu.

* * *

Um comentário:

compulsão diária disse...

Belo blogue!
Vou adicionar na lista do compulsão;)